Martes, 31 de octubre de 2006
Ayer fue re-electo Lula Da silva en Brasil en segunda vuelta con el 60%...

Lula- PT:
60,83%
Votos: 58.295.042 *

Geraldo Alckmin- PSDB
39,17%
Votos: 37.543.178 *

* Porcentaje en relacion al total de votos v?lidos (exclu?dos blancos y anulados)

En blanco: 1,32% (1.351.448)
Nulos: 4,71% (4.808.553)

Abstencion: 18,99% (23.914.714)

Total: 125.912.935


Gran segunda vuelta

Antes de la primera vuelta Lula no participo en los debates, el escandalo de los dossier estaba fresco y eso se nota; su campa?a no fue la mejor pero para la segunda vuelta se puso las pilas y los resultados estan a la vista...


Discurso

Antes de que se terminaran de contar los votos, Lula fue consagrado ganador y una hora despues cuando el propio Alckmin habia reconocido su derota, quienes apoyan al presidente salieron a festejar en muchas ciudades de Brasil.

En Sao Paulo donde Lula dio su discurso triunfal, fueron miles los que salieron a festejar...

Discurso de Lula (en portugues):

Confira a ?ntegra:

Meus amigos e minhas amigas aqui representados pelos companheiros dirigentes dos partidos que apoiaram a nossa campanha, nossos queridos companheiros representantes dos trabalhadores aqui representados pelos dirigentes sindicais, meus companheiros ministros, meus companheiros e companheiras coordenadores da nossa campanha. Eu n?o estou vendo aqui o governador Marcelo Miranda, do Tocantins. Ah,est? aqui do meu lado aqui nosso querido governador Marcelo Miranda, do estado do Tocantins; nosso querido companheiro Jaques Wagner, governador eleito da Bahia.

Queria dizer para voc?s que eu penso que o Brasil est? vivendo um momento m?gico, de consolida??o do processo democr?tico brasileiro. Acho que esse momento n?s devemos ao povo brasileiro, sobretudo, ao povo que foi inclu?do no patamar daqueles que j? tinham conquistado a cidadania. Acho que a inclus?o social de milh?es e milh?es de brasileiros, o acerto das coisas que o governo fez e os erros que tamb?m o governo fez permitiram que n?s pud?ssemos chegar num processo eleitoral mais amadurecido, com mais consci?ncia e consist?ncia das dificuldades que o Brasil enfrenta para dar o salto de qualidade que o Brasil precisa dar.

Eu sou um homem convencido de que a li??o que a democracia brasileira d? neste momento ao mundo, a come?ar da qualidade do processo de vota??o e apura??o do nosso pa?s. Em que pa?ses mais ricos do que o Brasil, mais poderosos do que o Brasil do ponto de vista econ?mico e tecnol?gico n?o tem. O Brasil fazer uma elei??o que termina ?s 17 horas e ?s 20 horas a gente j? saber o resultado de quase todo o territ?rio nacional ? muita compet?ncia tecnol?gica e muita compet?ncia inclusive da justi?a eleitoral brasileira.

Eu sou grato nesse momento ?s pessoas que confiaram, ?s pessoas que acreditaram. Sou grato ao povo deste pa?s. Ao povo brasileiro que em v?rios momentos foi instado a ter d?vida contra o governo. E o povo sabia fazer a diferen?a do que era verdade, o que n?o era verdade, o que estava acontecendo, o que n?o estava acontecendo no Brasil. E, sobretudo, o povo sentiu que ali tinha melhorado. E contra isso n?o h? advers?rio, porque o povo sentiu na mesa, sentiu no prato e sentiu no bolso a melhora de sua vida. O mais importante ainda ? que o povo sentiu isso no seu cotidiano. Ele sentiu isso na vida dos seus amigos, na vida das suas fam?lias.

Eu tenho consci?ncia de que n?s demos apenas o primeiro passo. Eu durante a campanha citava muito exemplos de que n?s t?nhamos constru?do um alicerce. A bases est?o usadas para que o Brasil d? um salto de qualidade extraordin?rio nesse pr?ximo mandato. Primeiro, porque todos n?s aqui temos mais experi?ncia, aprendemos muito. Segundo, porque n?s conseguimos o problema da macroeconomia brasileira, da instabilidade econ?mica.

Conseguimos consolidar nossas rela??es internacionais, conseguimos fazer ver que o Mercosul ? uma condi??o importante para o desenvolvimento dos pa?ses que dele participam. Conseguimos consolidar comunidades sul-americanas de na??es, conseguimos consolidar uma pol?tica internacional onde n?o temos advers?rios, mas constru?mos um leque de amizades em que o Brasil hoje transita com muita leveza em todos os continentes. E ? ouvido porque n?s aprendemos respeitar e quando a gente respeita a gente pode exigir respeito. E eu penso que tudo isso, me d? seguran?a de dizer a voc?s que vamos fazer um segundo mandato muito melhor do que fizemos no primeiro. Muito melhor.

N?o tenho d?vida que o Brasil vai crescer mais. N?o tenho d?vida que vai aumentar a distribui??o de renda neste pa?s. N?o tenho d?vida que vai aumentar a consolida??o da pol?tica externa brasileira. N?o tenho d?vida que vai aumentar o combate a corrup??o deste pa?s. N?o tenho d?vida que vai continuar o fortalecimento das institui??es no pa?s. E n?o tenho d?vida, sobretudo, que o Brasil ir? atingir um padr?o de desenvolvimento que ser? colocado entre os pa?ses desenvolvidos no mundo.

N?s cansamos de ser uma pot?ncia emergente, n?s queremos crescer. As bases para um crescimento sustentado da economia est?o dadas e agora a gente tem que trabalhar. Todo mundo. Todo povo brasileiro votou exatamente porque tem esperan?a de que as coisas podem andar ainda mais r?pido e muito melhor do que andaram no primeiro mandato.

A elei??o, como voc?s viram, ? sempre um processo complicado. Mas ao sairmos dessa elei??o e ao receber o telefonema do meu advers?rio, o candidato Geraldo Alckmin, eu saio com a convic??o muito mais forte do que entrei na campanha de que o Brasil n?o pode temer, em nenhum momento, o fortalecimento da sua democracia.

As institui??es est?o s?lidas, o povo brasileiro sabe reagir nos momentos adequados, com as atitudes adequadas. Os partidos pol?ticos precisam se fortalecer e para isso n?s vamos discutir, logo no come?o do mandato, a reforma pol?tica que o Brasil tanto necessita. E ? importante que ela saia. E que ela saia por consenso de todos os partidos pol?ticos. Porque o processo eleitoral mostrou tamb?m que quanto mais fortes forem as institui??es pol?ticas mais forte e mais consolidado ser? o processo democr?tico brasileiro.

De forma que eu estou feliz. Estou feliz pela participa??o da sociedade nesse processo eleitoral. Estou feliz porque a sociedade conseguiu compreender o momento hist?rico que n?s estamos vivendo no pa?s. Estou feliz pela elei??o dos governadores em todos os estados. Acho que n?s poderemos construir algo muito mais forte do que n?s tentamos construir em mar?o e abril de 2003, quando nos reunimos com os governadores para fazer a reforma da Previd?ncia e a reforma tribut?ria.

Acho que os governadores eleitos t?m o perfil de quem quer trabalhar no sentido de fazer com que haja uma compreens?o de que o crescimento do Brasil precisa beneficiar o crescimento dos estados. Continuaremos governar o Brasil para todos, mas continuaremos a dar mais aten??o aos mais necessitados. Os pobres ter?o prefer?ncia no nosso governo.

As regi?es mais empobrecidas ter?o no nosso governo uma aten??o ainda maior. Porque n?s queremos tornar o Brasil mais equ?nime. Queremos tornar o Brasil dos seus 8,5 milh?es de quil?metros quadrados mais justo do ponto de vista geopol?tico, mas tamb?m do ponto de vista econ?mico e social. Portanto n?s temos uma grande estrada a ser constru?da. As bases est?o consolidadas, os projetos j? est?o consolidados. E, portanto, n?s n?o temos tempo a perder. ? trabalhar, trabalhar e trabalhar porque ? isso que o povo brasileiro espera e ? por isso que o povo brasileiro votou.

? por isso que hoje, na rua, todo mundo fala: deixa o homem trabalhar, porque o Brasil precisa de trabalho. E eu estou muito confiante. Como jamais estive na minha vida. Estou confiante no Brasil, estou confiante na compreens?o dos partidos que perderam as elei??es no estado e para o governo federal, a elei??o acabou.

Agora n?o tem mais advers?rio.O advers?rio agora s?o as injusti?as sociais que n?s temos no Brasil e que precisamos combater. O advers?rio agora ? a gente, todo mundo, se juntar para fazer o Brasil crescer. Fortalecer o Brasil n?o apenas internamente, mas fortalecer o Brasil no mundo. N?s queremos continuar fortalecendo o mercado interno, fortalecendo as exporta??es. E eu penso que contra esses argumentos n?s n?o temos advers?rio.

Eu n?o tenho d?vida nenhuma que poderemos contar com a compreens?o dos partidos que fizeram oposi??o a n?s, e quero conversar com todos, sem distin??o. N?o haver? um ?nico partido nesse pa?s que eu n?o chame para conversar, para dizer o seguinte: agora o problema do Brasil ? de todos n?s. Eu tenho a Presid?ncia, mas todos os brasileiros e brasileiras t?m a responsabilidade de dar a sua contribui??o para que o Brasil n?o perca mais uma oportunidade.

Eu disse a voc?s que n?s manteremos uma pol?tica fiscal dura. Porque eu aprendi n?o na faculdade de economia, como os meus companheiros aprenderam. Eu aprendi na vida cotidiana que a gente n?o pode gastar mais do que a gente ganha porque sen?o um dia a gente vai se endividar de tal ordem que a gente n?o pode pagar a d?vida que contraiu.

Mas ao mesmo tempo que eu tenho a convic??o de que a solu??o para os problemas brasileiros n?o ? mais fazer o povo sofrer com ajustes pesados, que terminam caindo em cima do povo, mas que a solu??o est? no crescimento da economia, no crescimento da distribui??o de renda e n?s provamos isso no primeiro mandato, quando n?s diz?amos h? muito tempo atr?s que era preciso primeiro o Brasil crescer para distribuir e n?s diz?amos: ? preciso distribuir para o Brasil crescer, n?s provamos que com o pouco de distribui??o de renda que n?s fizemos seja a pol?tica de transfer?ncia de renda atrav?s do Bolsa-Fam?lia, atrav?s do cr?dito consignado, atrav?s do sal?rio m?nimo.

Atrav?s das conquistas que os trabalhadores brasileiros tiveram fazendo acordos por reajuste maior do que a infla??o, coisa que durante muitos anos n?s n?o faz?amos, n?s provamos que quando o povo tem um pouco de dinheiro ele come?a a comprar, a loja come?a a vender, a loja come?a a comprar da f?brica, a f?brica come?a a produzir, come?a a gerar empregos, come?a a gerar distribui??o de renda, e ? esse o pa?s que n?s queremos.

E ? o pa?s que eu tenho certeza que depois de quatro anos n?s daremos ao Brasil aquilo que o Brasil merece e que durante tantas vezes o Brasil quase chegou l?, mas por interesses eminentemente pol?ticos moment?neos, o Brasil jogou fora essa oportunidade. Eu n?o jogarei. Est?o aqui meus companheiros sindicalistas. Eu quero dizer para voc?s: reivindiquem tudo que voc?s precisarem reivindicar. N?s daremos apenas aquilo que a responsabilidade permite que a gente d?. Reivindiquem. Porque o mais importante - esses meus amigos sabem disso, do movimento social, do movimento sindical, dos empres?rios - eles sabem perfeitamente bem que a coisa mais sagrada ao terminar o mandato de um presidente da Rep?blica como legado ? a rela??o que ele conseguiu estabelecer com a sociedade, consolidando a democracia, consolidando o papel do Estado e consolidando, sobretudo, o papel da participa??o da sociedade.

Isso n?s fizemos com muita compet?ncia e vamos continuar fazendo porque afinal de contas o Brasil n?o ? meu. Eu ? que sou brasileiro e, portanto, o Brasil ? de todos. Por isso eu estou com essa frase aqui na minha camiseta para voc?s lerem. A vit?ria n?o ? do Lula, n?o ? do PT, n?o ? do PC do B, n?o ? do PTB, PRTB. N?o ? de nenhum partido pol?tico. A vit?ria ? eminentemente da sabedoria do povo brasileiro.

Eu disse a voc?s que eu ia mudar meu comportamento com a imprensa no segundo mandato. Vamos abrir para umas perguntas, para voc?s n?o se sentirem. Abre a? para umas quatro ou cinco perguntas porque isso aqui n?o ? ainda a coletiva que eu pretendo dar. Isso aqui ? apenas uma fala inicial depois do resultado eleitoral.

Quero dizer para voc?s mais uma coisa ainda. Quero, de p?blico, daqui agradecer a participa??o jovial do meu vice-presidente da Rep?blica. O Z? Alencar durante o processo eleitoral fez uma cirurgia. Os m?dicos n?o queriam que ele fizesse carreata e por onde andava o Z? Alencar j? tinha participado como se fosse um menino de 18 anos. Eu agrade?o a Deus de ter encontrado um parceiro de chapa como o companheiro Z? Alencar que al?m de ser um grande empres?rio ele ?, sobretudo um grande brasileiro e um grande patriota. Ele n?o veio aqui porque eu pedi para ele ficar em Minas Gerais, afinal de contas Minas Gerais tem a sua import?ncia, n?o ?? Voc?s viram o resultado eleitoral em Minas Gerais. Ent?o eu quero aproveitar a imprensa para agradecer ao Z? Alencar. J? agradeci por telefone, mas quero agradecer tamb?m pela imprensa.
Realizado por Mal_fica @ 17:23  | Actuld. latinoamericana
Comentarios (0)  | Enviar
Comentarios